Mitos & Verdades

A nutrição nos primeiros 1000 dias é importante para o desenvolvimento do meu filho?

VERDADE.
A nutrição adequada durante os primeiros 1000 dias influencia a saúde da criança, não apenas em curto prazo. Há também um impacto profundo no desenvolvimento de seu filho, o que pode afetar de maneira significativa a qualidade de vida que ele vai ter no futuro. Para garantir a melhor nutrição nesse período e determinar uma dieta adequada, procure um profissional de saúde.

Confira mais informações sobre como a nutrição influencia o desenvolvimento da criança.

Os primeiros 1000 dias começam a ser contados após o nascimento do bebê?

MITO. Os primeiros 1000 dias de vida são contados desde o primeiro dia de gravidez e vão até os 2 anos de idade.

Confira como é feita a conta:
GESTAÇÃO (270 dias) + 1° Ano (365 dias) + 2° Ano (365 dias) = 1000 dias.

O desenvolvimento da criança nesse período é grande?

VERDADE.
Os primeiros 1000 dias de vida são caracterizados por uma fase de rápido crescimento e desenvolvimento do organismo. É neste período que o corpo e os órgãos crescem, enquanto o cérebro e os sistemas digestório e imunológico se desenvolvem.

O organismo da gestante pode impactar os primeiros 1000 dias da criança?

VERDADE.
Durante a gravidez, o organismo materno começa a se preparar para o nascimento do bebê e para a amamentação. Nesse período, há a expansão de líquidos e do volume sanguíneo, além do crescimento do útero e das mamas e aumento dos depósitos de gordura. Essas modificações acontecem para suprir as necessidades de mãe e filho. Logo, uma gestante com hábitos saudáveis pode fornecer melhores condições para a jornada dos primeiros 1000 dias da criança.

Somente a nutrição causa impacto nos primeiros 1000 dias da criança?

MITO.
A interferência do ambiente também tem uma importante relação com o desenvolvimento da criança. Por isso, tudo o que a cerca nesse período é fundamental para sua saúde, aprendizado e potencial no futuro.

Devo ter cuidados especiais nos primeiros 1000 dias de meu filho?

VERDADE.
Os cuidados nessa fase favorecem a construção de uma vida saudável. Entre os principais cuidados estão uma nutrição adequada, o afeto, a higiene, a educação, o vínculo familiar e a vacinação, além de outras condições ambientais.

Há nutrientes que são necessários para mãe e bebê durante a gestação?

VERDADE.
A mãe deve ter uma alimentação equilibrada e saudável tanto para o adequado crescimento e desenvolvimento do bebê quanto para que o corpo possa se preparar para o aleitamento. Vale uma atenção especial para nutrientes como ácido fólico, vitamina D, cálcio, Ômega-3, DHA e ferro. Procure um nutricionista para mais informações sobre quais alimentos são indicados para essa etapa da vida.

Amamentar faz bem para o cérebro do bebê?

VERDADE.
Um estudo publicado na revista médica The Lancet indica que o leite materno, junto com os estímulos que as crianças recebem na infância, auxilia no desenvolvimento das habilidades cognitivas. Isso porque ele possui os nutrientes necessários para o crescimento do bebê.

É muito cedo para conversar com o bebê?

MITO.

Falar com seu filho desde os primeiros dias de vida é uma forma de fortalecer a ligação entre vocês, além de estimular a linguagem e o desenvolvimento cognitivo da criança.

O estresse dos pais faz mal para a criança?

VERDADE.
Ambientes tumultuados e estressantes podem estimular a ansiedade no pequeno, além de ser prejudicial para as relações familiares e refletir em menores estímulos a criança, impactando no desenvolvimento do cérebro.

Saiba como o estresse na gravidez e nos primeiros anos de vida podem afetar o desenvolvimento de seu filho.

A amamentação é a melhor forma de nutrição para os lactentes e oferece muitos benefícios tanto para os bebês quanto para mães, devendo ser oferecido como fonte exclusiva de alimentação até o 6º mês, podendo ser mantido até os dois anos de idade ou mais. É importante que antes e durante a amamentação a mãe mantenha uma dieta saudável e equilibrada. O uso de mamadeiras, bicos e chupetas pode dificultar o aleitamento materno particularmente quando se deseja manter ou retornar à amamentação; seu uso inadequado pode trazer prejuízos à saúde do lactente, além de custos desnecessários. Consulte sempre o profissional de saúde para aconselhamento sobre a alimentação do seu bebê, bem como para esclarecimento quanto aos custos, riscos e impactos sociais do uso de substitutos do leite materno. Se utilizar substituto do leite materno, você deve estar ciente da importância dos cuidados de higiene e do modo correto do preparo dos produtos, seguindo cuidadosamente as instruções do fabricante quanto ao seu uso; falhas no cumprimento das instruções poderão ter impactos na saúde do bebê. É importante que a família tenha uma alimentação equilibrada e que sejam respeitados os hábitos culturais na introdução de alimentos complementares na dieta do lactente, bem como sejam sempre incentivadas as escolhas alimentares saudáveis.

O ministério da saúde informa: após os 6 meses de idade, continue amamentando seu filho e forneça novos alimentos