O impacto da primeira infância no desenvolvimento da aprendizagem

A aprendizagem começa no início da vida, muito antes de a criança entrar para a escola. Na primeira infância, seu desenvolvimento integral se dá pela forma como se relaciona com o mundo e com as pessoas ao seu redor.

A educação é um dos fatores que influenciam o bem-estar das pessoas ao longo da vida. A Organização Mundial de Saúde afirma que intervir no desenvolvimento da primeira infância, dando atenção às necessidades das crianças – saúde, nutrição, cuidados, segurança e aprendizagem precoce – poderia contribuir para a redução da pobreza e custaria muito pouco ao governo, apenas 50 centavos de dólar por criança ao ano.

Já segundo um documento preparado pelo Núcleo Ciência pela Infância (Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Universidade de Harvard e Universidade de São Paulo), indivíduos com escolaridade mais alta tendem a viver mais, com melhores condições de saúde. Também têm menos chances de cair em condições de pobreza extrema.

Infelizmente, o Brasil não é um modelo no quesito aprendizagem. Em relação a países desenvolvidos, os alunos brasileiros têm pior desempenho em provas internacionais. Melhorar esse quadro é fundamental para o futuro do país em termos econômicos e sociais. Mas para isso, é preciso melhorar tanto a aprendizagem, quanto o aprendizado.

aprendizagem

Diferença entre aprendizagem e aprendizado

A aprendizagem é a capacidade de aprender, enquanto o aprendizado é o conteúdo a ser aprendido. A primeira começa ainda nos primeiros dias de vida do bebê, quando cria um vínculo com a mãe, observa os primeiros objetos do seu quarto e convive com os membros da família.

Quando a aprendizagem é saudável desde o início da vida, a criança fica mais capaz de absorver de forma crítica o conteúdo ensinado na escola. Aprendizagem e aprendizado caminham juntos. E tudo começa na gravidez.

Ainda entre a segunda e terceira semana de gestação, formam-se as primeiras células cerebrais e os primeiros neurônios. Ao longo dos primeiros mil dias, o cérebro forma centenas de novas sinapses (conexões entre os neurônios) e passa pela mielinização. A mielina é uma substância composta por proteína e gordura que envolve os neurônios e, por consequência, facilita a transmissão dos impulsos neuronais.

A partir daí, todo o processo de desenvolvimento de novos circuitos neuronais acontece gradualmente sobre aqueles já estabelecidos nos primeiros anos de vida. Portanto, quanto melhor a criança se desenvolver nesse período inicial – quando o cérebro evolui com uma rapidez singular em relação ao resto da vida – mais potencial a criança terá no futuro.

Pode não parecer, mas aprender a ler, fazer contas, cozinhar e tantas outras habilidades estão associadas ao que ocorre nos primeiros anos de vida.

Mas como garantir que o desenvolvimento nos primeiros mil dias impacte de forma positiva a aprendizagem no futuro? Durante a gravidez, é fundamental cuidar da saúde da mãe e do feto, tanto física quanto mental. Após o nascimento, o bebê deverá ser bem nutrido, crescer em um ambiente equilibrado e receber os estímulos adequados.

Bibliografia: Comitê Científico do Núcleo Ciência pela Infância (“O impacto do desenvolvimento da primeira infância sobre a aprendizagem), Organização Mundial da Saúde (“Investir no desenvolvimento na primeira infância é essencial para que mais crianças e comunidades prosperem, conclui nova série do The Lancet”)