De avó para mãe: qual a importância da família para a amamentação do bebê?

Além de ajudar nas tarefas diárias, avós e familiares também podem incentivar o aleitamento materno

Algumas pessoas costumam pensar que a amamentação é algo íntimo entre mãe e bebê. Mas o que um artigo publicado pela Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil aponta é que pais e familiares também são grandes aliados no incentivo ao aleitamento materno. E um membro da família pode ter um papel de destaque nessa tarefa: a avó.

shutterstock_339306164

Além de ajudar no cuidado com o bebê, e, muitas vezes, cuidar de netos mais velhos, é comum que as avós sirvam como um apoio emocional para mães e pais, principalmente os de primeira viagem. Elas também passam uma sensação de conforto nessa fase de diversas dúvidas e medos. O que o estudo descobriu é que avós que amamentaram seus filhos também estimulam o aleitamento de seus netos, contribuindo para a saúde deles.

As experiências que passaram fazem com que as avós incentivem a amamentação, principalmente por saber que o leite materno é um alimento fundamental para o desenvolvimento do bebê. Elas também podem passar instruções e orientações que facilitam o trabalho da mãe, como a melhor forma de segurar o bebê, como cuidar das mamas ou ainda como identificar quando o choro do bebê é fome.

A avó que amamentou: um modelo a ser seguido

É importante lembrar que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a amamentação exclusiva até os 6 meses, podendo se estender até os 2 anos de idade. E a família inteira pode incentivar que essa prática dure o maior tempo possível.

Bibliografia: Angelo BHB, et al. Práticas de apoio das avós à amamentação: revisão integrada. 2015. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant. Recife; 15(2): 161-170.