Amamentar diminui o risco de câncer de mama

Além dos claros benefícios ao bebê, a amamentação também faz bem à saúde da mulher

É um consenso entre médicos e mamães a enorme lista de benefícios que a amamentação traz aos bebês. O que nem todo mundo sabe, no entanto, é que a prática de amamentar os filhos também é uma forma de cuidar da saúde da mulher. É o que indica estudo publicado pela revista científica britânica The Lancet, em janeiro de 2016.

Entre as vantagens da amamentação, a pesquisa aponta a proteção contra o câncer de mama e de ovário, além de diabetes tipo 2. Esta é a mesma conclusão de outro estudo publicado em 2013, na Universidade de Granada, na Espanha. Nele, pesquisadores analisaram registros médicos de mais de 500 mulheres entre 19 e 91 anos, e observaram que amamentar o bebê por mais de 6 meses ajuda a proteger mulheres não-fumantes contra o câncer de mama.
Amamentar diminui o risco de câncer de mama
Apesar das vantagens que a amamentação traz, porém, a prática ainda não é adotada em todos os países do mundo. O aleitamento materno também é essencial para os bebês, pois esta ação poderia salvar, por ano, mais de 800 mil vidas de crianças menores de 5 anos ao redor do mundo. Desta forma, amamentar os filhos por mais de 6 meses ajuda a protegê-lo contra infecções e a evitar o excesso de peso e diabetes, além de outras doenças na idade adulta.

A prática do aleitamento materno poderia salvar cerca de 20 mil mulheres por ano do câncer de mama.

Bibliografia: Victora CG, et al. Breastfeeding in the 21st century: epidemiology, mechanisms and lifelong effect. Lancet. 2016; 387(10017):475-90.